Resumo do Capítulo: Conceituando a Avaliação.



3 de março de 2013






O sistema de ensino que valoriza a cultura da nota, a análise quantitativa dos resultados, símbolo da aprovação ou reprovação deve ser repensado. Numa nova abordagem de ensino e de aprendizagem é preciso refletir sobre o sentido da nota, como também, a questão do significado do erro, já que a avaliação consiste num processo de reflexão, de conhecimento e de investigação da realidade pedagógica.   


Observa-se que os muitos erros cometidos em provas dizem mais sobre os professores, conteúdos e métodos empregados do que a uma real avaliação da criança. Os professores parecem nada saber a respeito do desenvolvimento das crianças, não valorizando suas experiências prévias, sua bagagem, não respeitando a realidade de cada aluno.
Antigamente a avaliação era usada como instrumento de poder, que levava a escola a educar para a submissão. 


Os conteúdos eram memorizados, fechados e acabados e o aluno era somente um mero ouvinte passivo, simplesmente um ser receptor.


A avaliação será sempre necessária e constitui uma condição essencial para a aprendizagem, porém, o desafio é a formulação de um projeto de avaliação contínuo que promova um ensino de qualidade, mas que não fragmente a experiência do aluno.A avaliação deve ser vista como um subsídio ao:

"...professor com elementos para uma reflexão contínua sobre a sua prática, sobre a criação de novos instrumentos de trabalho e a retomada de aspectos que devem ser revistos, ajustados ou reconhecidos como adequados para o processo de aprendizagem individual ou de todo o grupo." (PCNs, 1997, p. 81).

Google+ Followers

Fale comigo!

Nome

E-mail *

Mensagem *

Arquivos do Blog