O que eu penso sobre: Inclusão



18 de julho de 2013



Inclusão

O termo inclusão aparece, em muitos estudos atuais e geralmente vem atrelado ao fato de a pessoa com deficiência ocupar o seu espaço na escola, o que se justifica por conta dos muitos movimentos sociais em prol da inclusão que se iniciaram com ações isoladas de educadores e de pais.
A ideia da inclusão se fundamenta numa filosofia de reconhecimento e aceitação da diversidade na vida em sociedade. Significa garantir o acesso de todos a todas as oportunidades, independentemente das peculiaridades de cada indivíduo e/ou grupo social. A inclusão social traz no seu bojo a equiparação de oportunidades, a mútua interação de pessoas com e sem deficiência, e o pleno acesso aos recursos da sociedade.
Com a inclusão de pessoas com deficiência na escola, as ações metodológicas, acolhimento, recursos necessários, organização do espaço e da equipe, questões referentes à acessibilidade, materiais de estudo, dentre outros, já podem e devem se contempladas no projeto pedagógico da escola.
Considerando que as barreiras encontradas em se tratando de crianças com deficiência física, não são apenas atitudinais, mas também de acessibilidade, até por vezes arquitetônicas, faz-se necessário elencar um rol considerável de cuidados e recursos específicos, para que o potencial do educando seja explorado, a fim de garantir a participação ativa e de forma mais independente possível, dos mesmos no ambiente escolar. 
Diante deste contexto, considerando a importância que assume o trabalho em equipe para promoção do acesso e permanência das crianças com deficiência na Educação Infantil, o presente artigo levantou a necessidade da integração constante de diversos profissionais, em relação ao atendimento da pessoa com paralisia cerebral.
Os mesmos devem sempre levar em conta a fase do desenvolvimento da criança e particularidades da infância e a funcionalidade de cada indivíduo, nos diferentes ambientes que a educação infantil proporciona. Para tal, se faz imprescindível o apoio e trabalho direto dos profissionais da área da saúde e da área educacional, cada qual contribuindo com seus saberes, em prol da inclusão com qualidade.
Além disso, a gestão escolar deverá ser participativa, prevista no projeto pedagógico estruturado, planejando as ações necessárias para o melhor acolhimento do educando, dentro da comunidade escolar. Para tanto, é importante traçar metas, prever formas de acesso, tanto aos espaços como ao currículo escolar e articular entre os diferentes profissionais, aqueles que possam auxiliar no desenvolvimento do aluno com deficiência física. 
                                 
 

 

 

 


Google+ Followers

Fale comigo!

Nome

E-mail *

Mensagem *

Arquivos do Blog